Quando você notar que do céu caem espinhos de gelo e os lábios tem sabor de fel, quando tudo é tão escuro que você não pode encontrar o futuro, quando a alma se torna um papel.
Quando você notar que o silêncio te congela por dentro e você não pode lutar contra ele, quando o mundo dos seus sonhos se tornar tão pequeno que não possa tocar nem a pele.
Quando você sentir esse peso que te afunda no chão, e viver já não vale nada; quando tudo estiver vazio, quando o fogo se fizer frio, quando a sua voz perder a força.
Quando você sentir que sua vida é um barco à deriva, uma casa sem luz nem calor; quando você quiser uma mão para uni-la com sua mão, quando você quiser mudar sua canção.
Então venha aqui, eu saberei parar o tempo no seu relógio; onde há alegria, onde cresce sua dor; saberei curar suas asas para que você possa voar. Te espero aqui, serei sua lua cheia, sua loucura e sua razão, e encorajarei sua vida com meu ardente coração e fecharei as portas para sempre da sua solidão.
A. R.

Quando você notar que do céu caem espinhos de gelo e os lábios tem sabor de fel, quando tudo é tão escuro que você não pode encontrar o futuro, quando a alma se torna um papel.

Quando você notar que o silêncio te congela por dentro e você não pode lutar contra ele, quando o mundo dos seus sonhos se tornar tão pequeno que não possa tocar nem a pele.

Quando você sentir esse peso que te afunda no chão, e viver já não vale nada; quando tudo estiver vazio, quando o fogo se fizer frio, quando a sua voz perder a força.

Quando você sentir que sua vida é um barco à deriva, uma casa sem luz nem calor; quando você quiser uma mão para uni-la com sua mão, quando você quiser mudar sua canção.

Então venha aqui, eu saberei parar o tempo no seu relógio; onde há alegria, onde cresce sua dor; saberei curar suas asas para que você possa voar. Te espero aqui, serei sua lua cheia, sua loucura e sua razão, e encorajarei sua vida com meu ardente coração e fecharei as portas para sempre da sua solidão.

A. R.