Eu não quero falar sobre o que fomos um para o outro. Apesar de isso me machucar, isso agora é passado. Dei-te mais do que eu poderia dar, já não consigo mais continuar. Na vida é assim: o vencedor leva tudo. E o perdedor fica menor. Junto com você eu fiz um castelo, e imaginei que seria forte e seguro lá dentro. Enganei-me. Perdi as cartas neste jogo, e meu castelo desabou. E vou ficando menor, vou perdendo o rumo e a vontade de viver. Mas me diga; o que foi que eu fiz para te magoar tanto? Não te fui indiferente; sempre te dei todo o amor que eu tinha aqui em mim. Você não se importava, por mais que me afirmasse isso. E eu tenho que te dizer adeus; os espectadores do nosso show estão indo embora. O jogo acabou; não somos mais nem amigos. Eu não quero sentir mais isso; eu só queria entender. Eu peço desculpas se o erro foi meu, mas agora não há mais nada o que fazer. O vencedor é você. O perdedor sou eu; e fico cada vez menor.
© Antônio Reis
Eu não quero falar sobre o que fomos um para o outro. Apesar de isso me machucar, isso agora é passado. Dei-te mais do que eu poderia dar, já não consigo mais continuar. Na vida é assim: o vencedor leva tudo. E o perdedor fica menor. Junto com você eu fiz um castelo, e imaginei que seria forte e seguro lá dentro. Enganei-me. Perdi as cartas neste jogo, e meu castelo desabou. E vou ficando menor, vou perdendo o rumo e a vontade de viver. Mas me diga; o que foi que eu fiz para te magoar tanto? Não te fui indiferente; sempre te dei todo o amor que eu tinha aqui em mim. Você não se importava, por mais que me afirmasse isso. E eu tenho que te dizer adeus; os espectadores do nosso show estão indo embora. O jogo acabou; não somos mais nem amigos. Eu não quero sentir mais isso; eu só queria entender. Eu peço desculpas se o erro foi meu, mas agora não há mais nada o que fazer. O vencedor é você. O perdedor sou eu; e fico cada vez menor.

© Antônio Reis